Taxa de Homicídios nos 100+

Os 5 piores 

Taxa de homicídios

Os 5 melhores

Taxa de homicídios

O estudo Desafios da Gestão Municipal 2018 da consultoria Macroplan traz um olhar aprofundado de 4 áreas relevantes para a gestão municipal: Educação, Saúde, Segurança e Saneamento & Sustentabilidade. Na segurança, o crescimento do número de homicídios na última década justifica a preocupação crescente com a agenda da segurança pública: foram registrados no Brasil 62.517 homicídios em 2016, 25,8% a mais que em 2006, e equivalente a uma taxa de homicídios de 30,8 homicídios por 100 mil habitantes. Essa taxa é mais de 4 vezes superior à da Argentina (7,0), menor da América do Sul¹.

Nos 100 maiores municípios foram registrados 25.535 homicídios (queda de 0,5% em relação à 2006), ou 41% do total de homicídios do país, e uma taxa de 31,7 homicídios por 100 mil habitantes, superior à média brasileira.

Na década, Vitória (ES), Mauá (SP) e São Bernardo do Campo (SP) foram as cidades que mais reduziram o número de homicídios: -70,5%, -70,3% e -69,8%, respectivamente. No outro extremo, Palmas (TO), Juiz de Fora (MG) e Natal (RN) tiveram crescimento muito elevado no período: +300%, +292% e +269%, respectivamente. Camaçari, o pior nesse indicador entre os 100+ em 2016, tem uma taxa de 86,3 mais de 20 vezes a taxa de São Bernardo do Campo (SP) (4,7, em 2016), no outro extremo.

  

Compare a taxa de homicídios entre os municípios dos 100+:

Fonte: Macroplan a partir dos dados do DataSUS. Obs: Números de óbitos por residência referenciados na Classificação Internacional de Doenças (CID-10) como eventos que envolvem agressões e óbitos provocados por intervenção legal (códigos X85-Y09 e Y35-Y36). ¹Banco Mundial

Saiba mais sobre o seu município no estudo Desafios da Gestão Municipal:

  

DÚVIDAS OU SUGESTÕES SOBRE O DGM?
 
  • Facebook - White Circle
  • LinkedIn - White Circle
Copyright 2018 - Todos os direitos reservados à Macroplan